quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

IV Xmas Busking na Av. Paulista

Quanta felicidade, nosso Busking de Natal está chegando ao quarto ano consecutivo, e será mais uma confraternização especial regada a muita música boa!

Vamos nos reunir domingo, dia 19 de dezembro, às 16h na Av. Paulista para tocar e para celebrar o fim de um ano cheio de realizações, lançamentos, revelações e projetos maravilhosos. Nosso repertório vai incluir tanto músicas temáticas quanto músicas autorais dos artistas.

O encontro acontece entre a estação Trianon e o Edifício Brazilian (antigo Banco Real), em frente à Alameda das Flores, como todos os anos.

Artistas confirmados até o momento:


Obs.: todos os artistas que quiserem participar, podem deixar uma mensagem na página e incluiremos aqui!

Foto: Xmas Busking 2014

sábado, 28 de novembro de 2015

Lançamento: Coletânea Folk Music Brazil vol. I

Chegou o grande dia da celebração do Folk brasileiro! Ouçam agora nossa Coletânea completa, e venham ouvir muito Folk ao vivo em nosso festival hoje às 14h30 na Praça Victor Civita!

A capa da Coletânea é uma maravilhosa arte de Raphaela Resende Pereira e Gabriela Resende Pereira - nosso muito obrigada às duas e parabéns pelo talento!

Ouçam e baixem:
Deezer: http://www.deezer.com/album/11808832
Spotify: http://goo.gl/QJrN1l
iTunes: https://goo.gl/RUpzIW


sexta-feira, 27 de novembro de 2015

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Folk Music Brazil Open Fest: 4ª edição celebra lançamento da nossa Coletânea Folk, com shows de 5 artistas!

O festival Folk Music Brazil na Praça Victor Civita teve suas duas primeiras edições em formato acústico em 2012 e 2013, e em 2014 mudou seu formato para um festival mais aberto e experimental dentro do gênero, mudando inclusive seu nome para Open Fest. Nesta 4ª edição, o formato vai inovar uma vez mais, trazendo 5 shows e um show de abertura: O Bardo e o Banjo, NOAHS, Archer (Leavn'), Antiprisma, Le Banquet, todos com lançamentos para apresentar, e com abertura de André Month – todos prometendo shows intensos e emocionantes, além de celebrar o lançamento de nossa primeira Coletânea Folk Music Brazil, que será lançada dia 27/11.

Abrindo o show, André Month, mineiro interiorano apaixonado pelo Folk, apresenta sua música com base em violão e gaita, em canções ácidas que traduzem em melodia as inquietações e reflexões com relação ao mundo contemporâneo. Em seguida teremos Le Banquet, banda paulista que conta com inspiração folk, coros, gaita, percussão, acordeom, e tantas outras características que dão um ar de singularidade ao grupo e um clima leve, sensível e agradável que por onde passa conquista o público. O duo Antiprisma segue a banda com um som essencialmente acústico sustentado pelas harmonias dos dois vocais, que vem conquistando a simpatia de um público ainda maior e chamou atenção da crítica, que exaltou a qualidade presente nas quatro faixas do trabalho de estreia e por diversas vezes comparou a sonoridade do registro ao regional brasileiro, ao folk rock sessentista e até mesmo à psicodelia. Em seguida, sobe ao palco o artista solo Archer (Leavn'), projeto de Eric Feiteiro que nasceu de antigas canções e textos escritos despretensiosamente, mas que se transformaram em verdadeiras obras primas com violão, gaita e sua voz rouca e contam com melodias que passeiam entre a serenidade e a aspereza.

A banda NOAHS vem de Florianópolis exclusivamente para tocar no festival suas músicas que trazem influências fortíssimas de Mumford & Sons, The Head and The Heart, entre outros grandes artistas, porém com um trabalho extremamente criativo e original, daqueles que não se cansa de ouvir. E por último, teremos a banda O Bardo e o Banjo para animar o fim da tarde com seu bluegrass contagiante e sua energia no palco, que se iguala à energia com que tocam na rua – onde o projeto começou.

O festival acontece em um clima leve de sábado à tarde no ambiente inspirador da Victor Civita – clima perfeito para passar o dia ao som de um bom folk music, e com entrada gratuita o festival fica ainda mais acessível. O novo formato do festival tem uma proposta aberta e convidativa, porém sempre mantendo o clima de proximidade entre artista e público, que é sua marca registrada.

O Folk Music Brazil é um projeto criado com o objetivo de organizar encontros para unir pessoas que apreciam esse gênero musical e difundir a cena folk por todo o Brasil, oferecendo aos artistas nacionais um canal para divulgar seu trabalho e interagir com seu público potencial, e aos fãs de folk um ponto de encontro para interagir, ir a shows e trocar recomendações de artistas. Criado no início de 2012, o Folk Music Brazil vem realizando inúmeros shows, festivais e encontros musicais, se tornando cada vez mais uma referência para o folk no Brasil e um espaço onde artistas e fãs de folk possam se comunicar.

Confira:
Acústico Folk Music Brazil I (vídeo): http://youtu.be/OnL9ePilrgw
Acústico Folk Music Brazil II (vídeo): http://youtu.be/J5M_t6vewis
Inverno Cultural (vídeo): http://youtu.be/pPYefr8JEDw

Serviço:
Folk Music Brazil Open Fest – Ano IV
Sábado, 28 de novembro de 2015
Abertura: 14h30 | Shows: 15h (pontualmente)
Local: Praça Victor Civita - Rua Sumidouro, 580, Pinheiros – São Paulo/SP
Entrada Franca
www.folkmusicbrazil.com.br
www.facebook.com/folkmusicbrazil
www.m4music.com.br


segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Resenha: Damien Rice em São Paulo - Cine Joia, 22/10/2015

Na última quinta (22) fui ver meu terceiro show do Damien Rice, que aconteceu no Cine Joia em SP, e posso dizer que cada um desses três shows que já vi desse incrível artista foi absurdamente único, e cada um me deixou com uma sensação diferente, uma sensação melhor a cada show. Cada um me deu uma nova percepção do homem por trás do artista, do que ele quer dizer, do que eu entendo e sinto com a música dele, e, me atrevo a dizer, da minha percepção da vida até.

Damien entrou no palco em meio a gritos de euforia do público, que já não se aguentava de ansiedade. Entrou calado, e abriu o show com Delicate, sabendo que não precisava de nenhuma apresentação, nem uma palavra de introdução - sua conexão com o público já dispensa isso. Passou para 9 Crimes, ainda sem dizer uma palavra, mas com o público cantando junto desde o início do show. Mas já nessa segunda música, o artista começou a expressar todos os seus sentimentos, que foram se revelando durante todo o show: arrependimento, dor conformada, desapego, distância, gratidão.

Ao final de 9 Crimes, uma explosão de luzes, que seria única durante todo o show, tomou conta do palco, junto com o violão e vocal distorcidos, terminando com o Damien cantando repetidamente "just to cheat, this is not what I do" (simplesmente trair, isso não é o que eu faço). Deixo ao julgamento de vocês o que ele sentia e quis dizer com esse ato.

Foto: Lilo Alonso

A terceira música foi The Box, que começou mais quieta - inclusive o público, que devia ainda estar atônito com o final de 9 Crimes, mas também teve as distorções no violão e aquele êxtase do Damien tocando violão com toda sua emoção nos refrões. Já a quarta música foi aberta pelas primeiras palavras não cantadas do Damien: um discurso sobre o "esperma" e o que ele causa em um homem (veja abaixo). Ao final do discurso, todos já sabiam que a música seria The Professor & La Fille Danse, que também teve o coro do público até nos versos em francês.

Antes da quinta música, mais uma história foi contada sobre uma noite que Damien passou na casa de uma amiga (veja abaixo). O público ouvia atentamente, e ao final da história, ele conta que no dia seguinte escreveu Amie, tocando ela em seguida, e o público cantando mais baixo dessa vez. A sexta música foi Long Long Way, que começou despretensiosa mas também teve sua explosão de emoção, batida e distorção no violão.

Mas foi quando Damien tocou Woman Like a Man que o público entrou em histeria total, cantando cada palavra com uma euforia e até, eu diria, uma identificação com a letra - isso considerando o fato de que uma grande parte do público era masculina, e eram as vozes deles as que mais se ouviam nessa música - apesar das mulheres também cantarem com grande exaltação. Essa euforia só fez aumentar coforme a música crescia e o Damien tocava com distorção no violão e no vocal.

Foto: Lilo Alonso

No início de Older Chests, a oitava música do repertório, houve um incidente ruim - uma pessoa do público passou mal, e tal foi nossa surpresa quando Damien pediu para fazer uma pausa e acenderem as luzes para socorrerem a pessoa - ato muito admirado por todos (inclusive quando ele disse, com sotaque, a palavra "segurança", imitando o grito de alguém). Em 5 minutos ele retornou e ficou dedilhando com muita sensibilidade, até tudo se normalizar - sensibilidade que seguiu durante toda a música Older Chests, e também no início de Elephant, a nona, que terminou com a distorção que tanto expressa esses sentimentos todos que mencionei no início deste texto.

I Don't Want to Change You seguiu o repertório começando com um pequeno erro, que foi levado com bom humor, e apesar de nova, também foi cantada na íntegra pelo público. A décima primeira música foi I Remember, emocionante do início ao fim, terminando com Damien explodindo em emoção no palco, gritando com vocal distorcido e tocando com intensidade incrível. E depois dessa intensidade toda, ele inicia Volcano como se nada tivesse acontecido, como se cada um lá já não estivesse extasiado mais que o suficiente, como se ele fosse um artista qualquer, tocando uma música qualquer, em toda sua simplicidade.

A décima terceira e última música do repertório foi It Takes a Lot to Know a Man. Para quem conhece a música, presente em seu mais recente álbum, sabe o poder dela, de sua letra, e o sentido de tudo que ele quis transmitir com ela. Poucas pessoas cantaram junto, provavelmente para contemplar a beleza dessa música, e posso garantir que valeu a pena para todos. A emoção foi tanta que ele terminou a música cantando no captador do violão, colocando todo seu coração no fim do show, fazendo desse um momento memorável para todos.

Mas claro que ele voltaria rapidamente para o "bis", onde ele tocou Cannonball, The Greatest Bastard e Grey Room de forma simplista e emotiva, e como de costume, terminou com The Blower's Daughter - a única música que ele pediu, de modo gentil, para cantar sozinho. Não preciso dizer que ele soltou os versos dessa música quase que em um choro, e terminou o show da maneira mais sincera e emotiva possível.

Posso dizer, com convicção, que pelo menos em mim esse show mudou muita coisa, para melhor, exceto pelo fato de ver o artista que eu tanto admiro não conseguir superar uma perda, e sofrê-la há anos até o dia de hoje. Se um dia ele vai conseguir seguir em frente, para mim, é um mistério, mas espero de coração que ele consiga. Já o que ele faz pelas pessoas, o sentido que ele dá a vida de tantas pessoas com seu trabalho, com suas palavras e seus acordes, ou simplesmente com seu ser, é algo que eu, pessoalmente, nunca conseguirei compreender completamente, mas serei eternamente grata pelo sentido que esse artista, junto com pouquíssimos outros, dá à minha vida.

Foto: Lilo Alonso

Vídeos:



sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Coletânea Folk Music Brazil: Lançamento Benjamin - Exist

Esta sexta-feira está mais que especial para nós, e queremos compartilhar com você o que está nos tocando hoje. Começamos com um dos vídeos mais lindos que já vimos por aqui, e o mais bonito de tudo é que ele foi feito com vídeos enviados pelos sensíveis fãs de benjamin.
Assistam, ouçam, compartilhem a faixa Exist do artista, e repitam tudo isso quantas vezes quiserem, que vocês não vão se arrepender. Ela também está em nossa Coletânea Folk Music Brazil.



Ouçam no Spotify: https://open.spotify.com/track/31eeLyyoDCXuwJoBdx0n8E



quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Coletânea Folk Music Brazil - Resultado da Seleção de Artistas

É com muito orgulho que apresentamos a vocês 4 ganhadores do concurso para a Coletânea Folk Music Brazil!

- Monoclub - "Cortejo"
- Paulo Reis - "Cidades Pequenas Cidades"
- Folk Na Kombi - "Dançar Eu Vou"
- Devonts - "Impressão Sua"

Vamos dar os parabéns aos talentosos artistas por suas belíssimas composições!


sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Coletânea Folk Music Brazil: Lançamento Arthur Matos - Sky High

E a Coletânea Folk Music Brazil não para de nos trazer pérolas do folk! Ouçam agora Sky High, de Arthur Matos, trabalho que estará em seu quarto disco a ser lançado no início de 2016. Não precisamos dizer que vocês precisam ouvir né? Está maravilhosa essa música!




terça-feira, 15 de setembro de 2015

Coletânea Folk Music Brazil Vol. I

Como um de nossos esforços para disseminar o folk brasileiro, estamos agora lançando a primeira Coletânea Folk Music Brazil em parceria com o Selo M4Music e a distribuidora digital Believe em lançamento mundial, com as melhores músicas folk nacionais da atualidade.

A Coletânea será lançada com um single por semana, cada um com um destaque especial para que todos possam apreciar com calma cada música maravilhosa que estará presente do álbum. Os artistas confirmados até o momento para a Coletânea são Arthur Matos, O Bardo e O Banjo, Benjamin, Antiprisma, Archer (Leavn') e Le Banquet. Além disso, selecionaremos de 4 a 6 artistas adicionais para se juntarem à Coletânea, conforme divulgado na aba Coletânea aqui de nosso site (com o devido regulamento).

O lançamento da Coletânea começa dia 18 de setembro de 2015 com o single Escadaria, da banda Le Banquet, fiquem de olho e não percam os lançamentos semanais porque vem MUITA coisa boa por aí!


quarta-feira, 11 de março de 2015

Folk na Casa do Mancha: Monoclub convida Benjamin

Nesta sexta tem folk na Casa Do Mancha! Monoclub convida Benjamin para uma noite cheia de energia e música boa, venham!

Evento no facebook: www.facebook.com/events/648115995315400

Quando: Sexta, 13/03 às 21h
Quanto: R$20,00
Onde: Casa Do Mancha - Rua Filipe de Alcaçova, s/n, 05416-020
Pagamento somente em dinheiro ou débito




sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Folk Music Brazil & ReverbNation apresentam: Josh Doyle

Nós conhecemos o artista Josh Doyle em 2012, quando ele foi eleito a maior descoberta na categoria cantor e compositor pelo famoso concurso musical do Guitar Center. Desde então, o britânico que hoje vive em Nashville não parou de nos surpreender e impressionar com seu trabalho, e hoje temos a alegria de compartilhar esse trabalho com vocês.

Envolvido com a música desde muito cedo, Josh costumava guardar o dinheiro de seu almoço para pagar horas de estúdio aos treze anos, e seu amor e comprometimento com música continuou pelos anos de colégio e faculdade. Já em sua primeira banda, The Dumdums, na qual ele era vocalista e guitarrista, ele atingiu grande sucesso no Reino Unido, e seu disco de estréia "It Goes Without Saying" gerou quatro hits no Top 30 UK. Além disso, o seu sucesso o levou a dividir o palco com artistas como Robbie Williams e Bon Jovi.

Com o término da banda pouco tempo depois, em 2004, Josh se mudou para Nashville, onde passou por dificuldades por um tempo, o que segundo ele o ajudou a desenvolver ainda mais sua escrita e seu trabalho como cantor e compositor solo. Com a vitória do concurso do Guitar Center, Josh teve a oportunidade de gravar com o premiado produtor John Shanks, e o que era pra ser uma sessão de gravação de apenas 4 músicas, acabou sendo a gravação de seu disco completo, tamanha a perplexidade do produtor com relação ao talento de Josh. Nessa sessão, em 4 dias, foram gravadas as 10 faixas que compõem seu disco de estréia homônimo.

Felizmente a carreira de Josh segue em ascenção contínua, com sua aparição em grandes programas de TV, como o Jimmy Kimmel Live e o CBS This Morning, e em contrato com a CTK Management, Neil Warnock (CEO, The Agency Group) e Steve Homer (VP, Live Nation UK).

Abaixo vocês podem conhecer o trabalho desse artista resiliente e talentoso. Não deixem de apoiar e seguir suas páginas!








segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Folk Music Brazil & ReverbNation apresentam: Alexander McKay

Esta semana retomamos as postagens com os artistas selecionados em nossa campanha com o ReverbNation, e preparem-se que só vai aparecer gente talentosa com música de tirar o fôlego por aqui!

O primeiro artista deste ano é o cantor e compositor Alexander McKay, britânico nascido em Wellington, uma pequena aldeia em Somerset, Inglaterra. Alexander começou sua vida musical em sua adolescência tocando em bares e clubes locais em Birmingham, inicialmente tocando em bandas de hardcore e apoiando artistas internacionais em viagem pela Europa.

Quando se via entre turnês, com nada mais a fazer a não ser ouvir discos e escrever canções, Alexander descobriu os sons mais acústicos de The Band, Jackson Browne e Buckingham/Nicks, e foi então que ele entrou de cabeça no mundo do Folk, trocou sua Gibson Les Paul por um violão J-200 e se trancou sozinho para escrever, produzir e gravar todas as canções que mais tarde se tornariam seu EP de estreia, "Brings Us Together".

Lançado em julho 2014 através da distribuidora britânico AWAL, o EP foi muito bem recebido, e o single "Stones" tornou-se rapidamente um favorito nas estações de rádio em todo o mundo. Equilibrando o Folk e o Rock com uma pitada de Soul, sua a voz rouca e dedilhado rítmico, a música de Alexander McKay tem uma sensação única e marcante.

Conheçam mais nos links abaixo, e não deixem de apoiar seu trabalho acompanhando e compartilhando suas páginas:






terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Noite Indie Folk na Sensorial Discos

Para abrir o ano com chave de ouro, o Folk Music Brazil traz à Sensorial Discos uma noite especial de Indie Folk, com shows de dois artistas e uma participação especial.

Teremos show do irlandês Johnny Fox, artista já conhecido por aqui, que está em passagem breve pelo Brasil, e do artista paulistano Archer, lançando seu primeiro single, que promete ser uma das grandes revelações do folk em 2015, com participação especial de Benjamin. Venham, vai ser lindo!

Serviço:

Noite Indie Folk na Sensorial Discos
Shows de Johnny Fox, Archer e part. especial de Benjamin
Sábado, 10 de janeiro às 20h
Entrada: R$10,00
Rua Augusta, 2389 - Jardins
www.facebook.com/folkmusicbrazil